asd

ATUAÇÃO

Samuel articula e obras da Régis serão concluídas até 2017

Após audiência pública promovida na Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (22), a pedido do deputado federal Samuel Moreira (PSDB-SP), entre representantes da concessionária Autopista Régis Bittencourt, do ministério dos Transportes, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e da ARTERIS, gestora da Autopista, a concessionária se comprometeu a entregar todo o trecho da rodovia Régis Bittencourt concluído até fevereiro de 2017.

Moreira considerou que esta foi uma grande conquista para a região do Vale do Ribeira, para o estado de São Paulo e para todo o país. “Nós conseguimos hoje atingir alguns objetivos importantes, como garantir o prazo de conclusão que já está muito atrasado. É uma obra que se atrasou muito do seu contrato inicial por vários motivos e agora nós queremos que esse prazo não seja mais prorrogado. Ficamos felizes em receber essa garantia de que ela será realmente concluída no prazo estipulado”, ressaltou o deputado.

A rodovia BR-116, trecho que liga São Paulo (SP) a Curitiba (PR), também conhecida como Régis Bittencourt, possui 400 km e está sob regime de concessão entre o Governo Federal e a concessionária Autopista Régis Bittencourt por uma prazo de 25 anos, desde 2008. O cronograma das obras está atrasado desde 2012 e ainda há trechos importantes sem a duplicação prevista, causando inúmeros acidentes e transtornos na região.

Gargalos

Um dos problemas recentes da Régis Bittencourt e que afeta especialmente os moradores da região do Vale do Ribeira (SP), remete aos retornos de nível. Por motivo de segurança e para evitar incidentes como alagamentos, eles foram fechados pela Autopista a pedido da ANTT, sem qualquer aviso prévio a população, causando assim, transtornos de logística e mobilidade. O principal é obrigar os condutores a se deslocar em até 20 km para conseguirem ter acesso ao viaduto mais próximo. Além disso, inúmeros congestionamentos se formam na local e o que é pior: os motoristas são obrigados a pagar pedágio (em alguns casos mais de um) para atravessar do lado rural para o centro de sua cidade.

Samuel Moreira criticou a postura da ANTT em fechar os acessos, mas afirmou que a concessionária se propôs a criar uma solução que possa resolver definitivamente o problema dos retornos de nível ao longo do trecho. “É evidente que precisa ter segurança, mas não pode se fechar [os retornos] sem conversar com a comunidade, explicar a importância da segurança, e levar uma solução definitiva como a construção de outros trevos e acessos fora de nível que podem ser feitos, e foi o compromisso que ocorreu aqui de se fazer”, afirmou Moreira.

Além disso, outro problema que afeta a rodovia e preocupa as lideranças locais é com relação a comunicação telefônica, que é inexistente em alguns trechos, como por exemplo, a Serra do Cafezal e a Serra do Azeite (regiões serranas do Vale do Ribeira). Após a articulação do deputado Samuel, a concessionária e a ANTT firmaram compromisso em elaborar um estudo técnico para viabilizar a telecomunicação na região.

“É uma BR importante, onde passam 20 mil veículos por dia e não há sinal de telefonia em vários trechos. Estabelecemos um procedimento, onde a empresa concessionária apresentará um estudo em até 90 dias para que nós possamos deliberar com a ANTT e com o Ministério dos Transportes o investimento necessário para poder ter comunicação nestes trechos”, explicou o parlamentar.

Samuel Moreira também propôs, durante a reunião, que fosse criado um núcleo de interlocução entre representantes da ANTT, do ministério dos Transportes e da concessionária Autopista, além de lideranças da comunidade para que se possa estabelecer um diálogo e, assim, resolver as demandas que envolvem a obras de melhorias da Régis Bittencourt.

Saldo Positivo

O deputado Samuel Moreira avaliou que o encontro foi positivo para que de fato as obras da rodovia sejam concluídas dentro do prazo estabelecido e possam atender às demandas da região. “Esta BR para a região é fundamental. Ela corta a região toda, mas ela é importante para todo o Brasil porque ela liga a região sul à região sudeste do país, ou seja, duas regiões muito desenvolvidas. Portanto, é uma rodovia muito importante e que precisa estar em pleno funcionamento e condições para viabilizar a capacidade econômica daqueles municípios e consequentemente do país”, concluiu Moreira.

Diversas lideranças municipais de Cajati, Juquiá, Registro, Pariquera-Açu e Peruíbe estiveram presentes na audiência e parabenizaram a iniciativa do parlamentar de São Paulo em colocar levantar essa discussão e buscar soluções para um problema que já se arrasta há anos no estado.

“Foi uma reunião de grande valia, porque o Vale do Ribeira sempre vem pagando uma conta alta por morarmos lá, por questões ambientais, questões de acesso, questões de comunicação e tudo foi discutido, e a gente tem que agradecer muito o deputado Samuel Moreira por essa ideia.”, destacou o prefeito de Juquiá, Merce Hojeije.

O prefeito de Registro, Gilson Fantin falou da importância de se debater os gargalos que envolvem a rodovia. “Primeiramente parabenizo o deputado Samuel pelo empenho, pela iniciativa de colocar em pauta um assunto tão importante como a rodovia Régis Bittencourt. Foi uma reunião muito produtiva, pois trouxemos preocupações de Registro e hoje saímos daqui com uma resposta”, destacou o prefeito.

Participaram da audiência o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Sérgio Lobo, o superintendente de Infraestrutura da ANTT, Luiz Fernando Castilho, o superintendente da Auto Pista Régis Bittencourt, Eneo Palazzi e o presidente da ARTERIS, David Antônio Diaz Almazán.

 

Informações à Imprensa

Amanda Lima – (61) 3215-5921/ (61) 8472-3352
Fábio Martins – (11) 5087-4450/ (11) 99601-5068

23 de outubro de 2015, 09:46

COMPARTILHE

DEIXE SEU COMENTÁRIO

2 Comentários